«Um balão de ar quente, eis a economia portuguesa na óptica da OCDE: crescimento residual do PIB, falhas consecutivas da meta orçamental e ainda - a previsão mais sibilina para os charlatães da austeridade - um aumento estratosférico da dívida pública...»