O primeiro-ministro português lamentou esta quinta-feira a morte do antigo chefe de Estado da África do Sul, Nelson Mandela, considerando que «será uma referência inspiradora para as gerações futuras», numa mensagem enviada ao atual presidente sul-africano, Jacob Zuma.

Nelson Mandela morreu aos 95 anos, anunciou o Presidente da República da África do Sul, numa comunicação televisiva.

Morreu Nelson Mendela aos 95 anos.

Numa mensagem enviada a Jacob Zuma, o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, declara ter recebido a notícia da morte de Nelson Mandela «com profundo pesar».

«Nesta hora de recolhimento, permita-me que evoque o impressionante legado que Nelson Mandela deixou como homem e como estadista, marcando indelevelmente o nosso tempo e que será uma referência inspiradora para as gerações futuras», escreve o chefe do executivo PSD/CDS-PP.

«Recordaremos para sempre o decisivo contributo de Nelson Mandela para o fim pacífico do apartheid, para uma das mais notáveis e bem-sucedidas transições políticas da história contemporânea e para o lançamento das fundações da nova, democrática e multiétnica África do Sul», acrescenta.

Em nome do Governo de Portugal, Pedro Passos Coelho apresenta as «mais sinceras condolências» a todo o povo sul-africano, à viúva de Nelson Mandela, Graça Machel, e a toda a sua família.

«Permita-me sublinhar que Portugal encontrou a cada passo em Nelson Mandela um amigo cuja perda será sentida por todos os Portugueses, estejam eles na África do Sul, no nosso País ou espalhados pelo globo», cita a Lusa.

Pedro Passos Coelho recorda Nelson Mandela como «símbolo do ativismo, do diálogo e da tolerância», alguém com «um percurso de vida extraordinário que foi o reflexo da sua própria excecionalidade».

«Com as suas reconhecidas qualidades pessoais, e guiado por sólidos princípios e valores humanos, o Madiba foi líder da resistência não violenta ao regime de segregação racial, prisioneiro político, pai da moderna nação sul-africana, prémio Nobel da Paz e Presidente da República», refere.

Leia aqui a biografia de Nelson Mandela.