A ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, disse esta terça-feira que o seu Ministério tem tido «uma cooperação perfeita» com Angola e que o dia-a-dia das relações bilaterais «segue normal».

«Temos continuado com uma cooperação perfeita sobretudo a nível de registos e notariado e de formação de polícia de investigação. Todos nós, e a senhora Procuradora Geral já deu nota disso, temos de ter preocupação com a violação do segredo de justiça porque é uma violação objetiva da lei», afirmou Paula Teixeira da Cruz aos jornalistas à margem de uma conferência em Lisboa.

A governante apelou ainda para que haja «uma grande serenidade» no processo das relações de Portugal com Angola, garantindo que no Ministério da Justiça nada mudou.

«Continuamos a nossa cooperação a todos os níveis do Ministério. Ainda agora se deslocaram a Angola algumas pessoas no âmbito das parcerias que temos, o dia-a-dia segue normal», referiu.

O Presidente angolano anunciou no dia 15, em Luanda, o fim da parceria estratégica com Portugal, apontando «incompreensões ao nível da cúpula e o clima político atual».

No início de outubro, o Diário de Notícias indicou que o ministro dos Negócios Estrangeiros português pediu desculpa a Luanda por investigações do Ministério Público português a empresários angolanos.

Rui Machete disse à Rádio Nacional de Angola (RNA) que as investigações não eram mais do que burocracias e formulários referentes a negócios de figuras do regime angolano em Portugal.