Marinho e Pinto assumiu, este domingo, em entrevista à TVI24, que vai concorrer, por Coimbra, às próximas eleições legislativas. O eurodeputado eleito pelo Movimento Partido da Terra (MPT) frisou que não põe de parte uma aliança como o Partido Socialista (PS), mas começou por dizer que não tem «objetivos de cargos».

Marinho e Pinto deixou ainda críticas ao Presidente da República, que acusou de ter «um papel anti Governo» do PS e de ser o principal apoio do Governo PSD.

Sobre o Parlamento Europeu, Marinho e Pinto disse que «parece uma corte onde todos têm que ser muito bem pagos» e onde «o fim-de-semana começa pouco depois das 10:00 de quinta-feira».

No seu estilo, sem papas na língua, Marinho e Pinto não passou ao lado do caso BES. O eurodeputado criticou a fusão entre política e negócios e referiu que o Banco Espírito Santo «passou a banco do PSD».