A presidente do PS, Maria de Belém, afirmou esta terça-feira respeitar todas as opiniões, mas frisou que «se alguém tem dúvidas», o Partido Socialista ganhou as eleições europeias e considerou «pouco inteligente» desvalorizar a vitória.

«[O dr. Mário Soares] é uma pessoa que o PS respeita imenso, é um fundador do Partido Socialista, um fundador da democracia portuguesa, é um democrata ao qual todos nós devemos o restabelecimento das liberdades democráticas em Portugal e portanto terá sempre toda a liberdade para fazer a avaliação que faz. Está no seu direito, já fez muitas outras e é nosso dever respeitar essas opiniões como respeitamos todas as pessoas», declarou Maria de Belém, no parlamento.

A presidente do PS afirmou em seguida que «se alguém tem dúvidas, o Partido Socialista ganhou as eleições europeias» e acrescentou que se revê «nas declarações de Augusto Santos Silva que terá dito que seria muito pouco inteligente desvalorizar a vitória que o PS teve».

«Porque é que havia de haver uma vitória estrondosa, as vitórias são vitórias ou não são vitórias», disse, questionando: «então uma pessoa ganha as eleições e põe-se em causa essa vitória?».

A deputada falava aos jornalistas no parlamento, antes de ser público que o presidente da câmara de Lisboa, António Costa, manifestou disponibilidade para avançar para a liderança do PS, e após questionada sobre a opinião de António Costa e de Mário Soares sobre a vitória obtida pelo PS nas eleições de domingo, pouco mais de 31 por cento dos votos.

Segundo o ex-presidente da República Mário Soares, tratou-se de «uma vitória de Pirro» que «não deveria ter sido aclamada com o entusiasmo com que o seu líder o fez».

O ex-chefe de Estado considerou que «o povo falou claro» ao dizer que «não quer a direita que está no poder», mas também quer que o PS «dê expressão política ao descontentamento popular».

Mário Soares chegou a citar palavras de António Costa, presidente da Câmara de Lisboa e potencial adversário de António José Seguro na disputada da liderança do PS, lamentando que «à derrota histórica da direita não tenha correspondido uma vitória histórica do PS».

Maria de Belém sublinhou que o resultado do PS foi também uma «vitória da política sobre a tecnocracia» e considerou significativo que os socialistas tenham ganho «apesar dos ataques» de que disse ter sido alvo na campanha.