Marcelo Rebelo de Sousa diz que o mais provável é que Pedro Santana Lopes seja o candidato do PSD nas próximas eleições presidenciais. No habitual comentário na TVI, Marcelo Rebelo de Sousa voltou a excluir-se das opções de Pedro Passos Coelho.

«A noção de estratégia aponta para um presidente parlamentarizado. Um presidente apagado. Um presidente que faça ticket com ele e que se molde ao primeiro-ministro que ele pretende voltar a ser. O que a meu ver torna muito difícil a figura de Rui Rio, uma vez que Rui Rio já se propôs alterar o sistema político em pontos fundamentais. Não é propriamente o perfil que vem lá e, como eu disse à partida, tornava impossível o perfil Marcelo Rebelo de Sousa», disse.

O comentador da TVI acredita ainda que o PS optará por António Guterres para candidato a Presidente da República. «A meu ver, o mais provável, à Esquerda, depende do voto dos socialistas, é António Costa - Guterres, e o mais provável, de acordo com a moção de estratégia que foi votada no congresso do PSD pacificamente é Passos Coelho - Pedro Santana Lopes», sublinhou.

No mesmo comentário, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que a coligação governamental deve ser discutida até setembro. O comentador considerou ainda que o assunto que mais divide PSD e CDS são os impostos.

O professor comentou também a entrevista de António Costa ao «Expresso» e, na sequência das declarações do autarca de Lisboa, considerou que Rui Rio não deve avançar para a corrida à liderança do PSD.