António José Seguro criticou esta noite, em Mangualde, o discurso de Pedro Passos Coelho na abertura do congresso do PSD. O secretário-geral do PS disse que o primeiro-ministro esteve mais concentrado em fazer oposição do que a apresentar propostas concretas.

«O Primeiro-Ministro falou durante uma hora. Mais de metade do tempo foi a fazer oposição ao PS», lamentou Seguro.

«Para nós, se a vida das pessoas está pior, é o país que está pior», defendeu o líder socialista.

António José Seguro acusou o Governo de se ter transformado num «comité eleitoral do PSD e do CDS», em vez de dizer aos portugueses como vai resolver os problemas do país.

Ao intervir no encerramento da convenção «Um novo rumo para Portugal», o líder socialista afirmou que «o Governo desenvolve a maior campanha de propaganda eleitoral de que há memória» na democracia portuguesa.

«O Governo deixou praticamente de governar. Transformou-se num comité eleitoral do PSD e do CDS e especializou-se na oposição ao Partido Socialista», criticou.

Seguro acusou o primeiro-ministro de ter retomado esta sexta-feira «a segunda parte da teoria do oásis», ao dizer que «o país hoje está melhor».

«Não está, porque ele esqueceu-se de olhar para os mais de 880 mil portugueses que estão desempregados, mais de 200 mil que emigraram, os mais de 310 mil que estando em idade de trabalhar já desistiram de tanto procurar e não encontrar uma oportunidade», afirmou, lembrando ainda os «137 mil jovens, a maior parte licenciados, que não encontraram oportunidade de emprego e também tiveram de emigrar».