O cabeça de lista socialista às eleições europeias, Francisco Assis, defendeu nesta sexta-feira que o Governo e o Presidente da República devem tirar ilações políticas caso a coligação PSD/CDS-PP sofra uma clara derrota no próximo domingo.

Francisco Assis assumiu esta posição em declarações aos jornalistas no final de uma arruada em Moscavide (Loures), uma das mais animadas da campanha eleitoral do PS para o Parlamento Europeu.

«Estou convencido que o PS vai ter um excelente resultado no domingo e é evidente que importa retirar ilações dos resultados. Não é só o Presidente da República que terá de retirar ilações dos resultados, mas também o próprio Governo», advertiu o número um da lista europeia socialista.

De acordo com Francisco Assis, se no domingo «o Governo for claramente castigado, o Governo deve ser o primeiro a fazer a leitura desses mesmos resultados».

Interrogado se o PS, nesse cenário de derrota da coligação PSD/CDS-PP, se prepara para pedir eleições legislativas antecipadas, o cabeça de lista socialista respondeu: «Vamos esperar pelos resultados eleitorais.»

Em vários dos seus discursos, ao longo da campanha, Assis falou na existência de um «conluio» entre o Governo e Cavaco Silva, e justificou porquê: «Em momentos decisivos, o PS fez bem em não ceder aos apelos em torno de um consenso espúrio, em torno de uma solução de governação errada.»

Em Moscavide, numa arruada animada por uma banda, ao lado de Francisco Assis, estiveram a número dois da lista europeia socialista, Maria João Rodrigues, o membro do Secretariado Nacional do PS Eurico Brilhante Dias, o líder da Federação da Área Urbana de Lisboa do PS, Marcos Perestrello, e deputados como Vitalino Canas e Pedro Farmhouse.