O secretário-geral do PS acusou esta quarta-feira o primeiro-ministro de «faltar sistematicamente à palavra» e de «enganar os portugueses», carregando-os com «mais sacrifícios», como «o aumento de impostos, cortes nas pensões e despedimentos na Função Pública».

«Todos os portugueses estão surpreendidos, porque houve um aumento de impostos, a somar ao aumento brutal de impostos» do «ano passado, houve cortes nas pensões e nas reformas, que passaram de provisórios a definitivos, há despedimentos na função pública», disse António José Seguro.

E «tudo ao contrário daquilo que o Governo tem andado a dizer», continuou, considerando que «tão grave» como as medidas hoje anunciadas, é o país ter «um primeiro-ministro [Passos Coelho] e um Governo que falta sistematicamente à palavra, que engana os portugueses».

O líder do PS falava aos jornalistas durante uma visita à feira agropecuária Ovibeja, a decorrer até domingo em Beja, onde aproveitou para reagir às medidas do Documento de Estratégia Orçamental (DEO) apresentadas pelo Governo.