O secretário-geral do PCP considerou este domingo prematuro debater possíveis candidatos às eleições presidenciais de 2016. Jerónimo de Sousa apontou como prioridade a luta contra a política do Governo PSD/CDS-PP.

«Creio que seria prematuro qualquer posicionamento», afirmou Jerónimo de Sousa, depois de questionado sobre se o ex-reitor da Universidade de Lisboa Sampaio da Nóvoa seria um bom candidato presidencial na perspetiva do PCP.

De acordo com a Lusa, Jerónimo de Sousa frisou que a prioridade do «empenhamento e da reflexão» do PCP é a luta contra a política do Governo e a exigência de eleições antecipadas.

Jerónimo de Sousa falava aos jornalistas à margem do Congresso sobre a vida e a obra do líder histórico comunista Álvaro Cunhal, que terminou esta domingo na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Sobre as próximas presidenciais, Jerónimo de Sousa acrescentou que o PCP «tudo fará» para que o próximo Presidente da República seja alguém que «respeite a Constituição da República, que jure defendê-la e concretizá-la». Para já, disse, «é precipitado fazer qualquer análise definitiva», uma vez que se trata de um processo que «não começou».

«Com a certeza de que o PCP, de forma autónoma, decidirá em conformidade. Não ponhamos as diversas etapas umas à frente das outras. Neste momento, a grande prioridade da nossa luta é contra esta política, este governo. Até 2015 ainda falta muito tempo», acrescentou.

Sampaio da Nóvoa tem sido apontado como possível candidato presidencial da área das esquerdas.