Cinco foi a diferença entre os votos contra e a favor nas votações na generalidade e na especialidade do diploma sobre a coadoção de crianças por casais homossexuais, chumbado com 112 votos contra, 107 favoráveis e 4 abstenções, nesta sexta-feira.

Coadoção por casais homossexuais chumbada no Parlamento

Tal como esta manhã, em maio de 2013, quando o diploma do PS foi votado na generalidade, a diferença entre votos contra e a favor foi também de cinco. Mas, ao contrário de hoje, nessa altura o projeto de lei foi aprovado, com 99 votos a favor, 94 contra e 9 abstenções.

Embora se tenham registado algumas transferências de votos, a primeira grande diferença das duas votações registou-se ao nível das presenças: em maio votaram 202 dos 230 deputados, hoje 223 parlamentares (a presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, eleita pelo PSD, esteve presente nas duas votações, mas ao abrigo do artigo 93º do regimento, não exerceu o seu direito de voto).

Quanto às transferências de voto no grupo parlamentar do PSD - bancada onde houve maior divisão - enquanto em maio 16 deputados votaram a favor, esta manhã foram apenas 15. Conceição Caldeira e Maria José Castelo Branco tinham votado a favor, mas agora abstiveram-se. O deputado Miguel Frasquilho que não tinha estado presente na votação de maio, hoje votou também a favor. Quanto às três abstenções social-democratas de maio, Duarte Marques, João Prata e Sofia Bettencourt optaram esta manhã pelo voto contra.

Os deputados do PSD que votaram favoravelmente nas duas ocasiões foram: Nuno Encarnação, Francisca Almeida, Cristovão Norte, Teresa Leal Coelho, Joana Barata Lopes, Gabriel Goucha, Odete Silva, Sérgio Azevedo, Pedro Pinto, Mónica Ferro, Luís Menezes, Paula Cardoso, Ângela Guerra e Ana Oliveira.

Na bancada do PS, onde esta manhã não houve qualquer voto contra, a unanimidade só foi quebrada com as duas abstenções de João Portugal e Isabel Oneto.

Em maio, a divisão no grupo parlamentar do PS tinha sido um pouco maior, com as abstenções de Pedro Silva Pereira, Miguel Laranjeiro e José Junqueiro, que agora votaram a favor. Tinham votado contra João Portugal (que agora se absteve) e António Braga (que não esteve presente na votação de hoje).

Quanto à bancada do CDS-PP, em maio três deputados tinham optado pela abstenção: João Rebelo, Teresa Caeiro e Michael Seufert. Na votação na especialidade, Teresa Caeiro e Michael Seufert votaram contra, enquanto João Rebelo não esteve presente.

Além de João Rebelo, faltaram ainda às votações desta manhã o deputado do PSD Mota Pinto (que em maio tinha votado contra), os deputados do PS Maria de Belém Roseira, Paulo Pisco (ambos tinham votado a favor) e António Braga (tinha votado contra) e o deputado do PCP Paulo Sá (que votou a favor).

As bancadas do PCP, do BE e do PEV votaram nas duas ocasiões em bloco a favor do diploma socialista.