O CDS-PP respondeu hoje ao ex-ministro das Finanças de José Sócrates. Centristas não gostaram das palavras com que Teixeira dos Santos falou sobre guião da Reforma do Estado, elaborado pelo vice-primeiro-ministro, Paulo Portas.

Nuno Magalhães afirmou que o ex-governante era uma dos responsáveis pela situação atual do país e acrescentou que também ele deixou um documento «de 35 páginas, com exigências de credores», ou seja, o memorando da troika.