sobre a saída que Portugal deve escolher

«face à extensão em sete anos do vencimento dos empréstimos concedidos a Portugal pela União Europeia (52 mil milhões, no final do programa de ajustamento), não se prevê que ocorram reembolsos antes de 2025 e que a percentagem de 75 por cento dos reembolsos seja atingida antes de 2035»







Marco António Costa encara «sem surpresa» posição de CavacoCavaco Silva revelou o que o Governo «tem andado a fazer