O Presidente da República admitiu, esta quarta-feira, que gostaria que os empresários e investidores da Califórnia prestassem mais atenção a Portugal e reconheceu que uma ligação aérea direta com São Francisco facilitaria o turismo.



Em declarações aos jornalistas em São Francisco, onde se deslocou para participar na Cimeira Mundial dos Oceanos, o chefe de Estado insistiu que uma das maiores preocupações que tem nesta curta visita à Califórnia é explicar a investidores norte-americanos, empresários e altos quadros portugueses que trabalham em multinacionais na região «o Portugal de hoje».



«Acima de tudo explicar como Portugal é uma localização competitiva para o investimento internacional», sublinhou Cavaco Silva.

De acordo com a Lusa, o chefe de Estado repetiu que a Califórnia é o estado mais populoso dos Estados Unidos da América, é a nona economia do mundo e tem a maior comunidade portuguesa no país, com cerca de 350 mil pessoas.



Esse foi, aliás, um dos objetivos do pequeno-almoço que o Presidente da República teve, esta quarta-feira de manhã, em São Francisco, com membros do conselho da diáspora portuguesa e quadros que trabalham na Califórnia.



«É bom que eles saibam como é que as coisas estão a evoluir em Portugal», frisou. Cavaco Silva insistiu que «é de muito interesse para Portugal conseguir reforçar as relações de comércio e investimento» com a região da Califórnia.



«Queremos que empresários e investidores desta parte do mundo prestem mais atenção ao nosso país», acrescentou. O chefe de Estado sublinhou que, para isso, é também importante que conheçam as experiências de empresas multinacionais em Portugal, como a IBM, a Cisco ou a Xerox.



O Presidente da República destacou ainda as potencialidades ao nível do turismo que existem para Portugal, reconhecendo que se existissem ligações aéreas diretas de São Francisco para Lisboa «seria mais fácil».



A nossa companhia já voa para Miami, mas tendo presente a dimensão da comunidade portuguesa e da dimensão da economia da Califórnia nós ficaríamos satisfeitos, os operadores turísticos portugueses ficariam satisfeitos, se pudesse existir uma ligação mais fácil entre Lisboa e São Francisco», admitiu.



Cavaco Silva, que já em 2011 tinha estado na Califórnia, num âmbito de uma visita oficial que realizou aos Estados Unidos da América e que o levou também a Nova Iorque e a Washington, sublinhou ainda o importante papel que a comunidade portuguesa e de lusodescendentes pode desempenhar para «reforçar a imagem e a credibilidade de Portugal» e para fazer com que o país seja incluído na «lista mais curta de potenciais investimentos na Europa».



«Acho que podem fazer mais na divulgação de Portugal», admitiu. Cavaco Silva lembrou que o país deve ser considerado não apenas pela dimensão do seu mercado interno, mas também pelas relações que mantém com os países de África e pelo facto que representar «uma porta de entrada para a Europa».