Manuel Carvalho da Silva, antigo secretário-geral da CGTP, deixou de ser militante do Partido Comunista e decidiu não tornar pública a decisão. A notícia foi avançada este sábado pelo jornal «i».

Ao «i», o ex-dirigente da CGTP não quis falar sobre o tema e disse apenas que é «um assunto» para o qual não tem «resposta nenhuma».

Carvalho da Silva, de 64 anos, liderou a CGTP entre 1986 e Janeiro de 2012, altura em que deixou o cargo de secretário-geral, sendo sucedido por Arménio Carlos.

Agora, de acordo com a notícia do «i», sabe-se que pouco depois de ter deixado a liderança da CGTP, em janeiro de 2012, Carvalho da Silva desfiliou-se do partido comunista. Nessa mesma altura, Carvalho da Silva deu uma entrevista onde afirmou que a ligação que mantinha com o PCP era ténue.

«Beneficiei ao longo de toda a minha presença no Partido Comunista das aprendizagens, de valores, de ensinamentos múltiplos. Tenho também para com muitos camaradas e para com o partido no seu coletivo uma grande gratidão e, quanto à minha relação, já disse tudo o que tinha a dizer», afirmou Carvalho da Silva, numa entrevista à RTP em 2012.



Carvalho da Silva tem sido apontado como um possível candidato de esquerda à Presidência da República. Depois de ter estado 25 anos à frente da CGTP, é atualmente professor universitário.