A votação para as eleições autárquicas começou com atraso em pelo menos duas freguesias de Chaves, uma de Vila Real e na assembleia de voto instalada na escola André de Resende, em Évora, segundo fontes policiais e autárquicas.

O furto dos boletins de voto em Roriz, no concelho de Chaves, atrasou a votação naquela freguesia, mas a situação deve ficar normalizada por volta das 10:00, disse à Lusa fonte da autarquia.

Fonte da GNR confirmou que os documentos foram furtados do interior da sede da junta de Roriz, por arrombamento.

O presidente da Câmara de Chaves, João Batista, explicou que, quando aquela mesa de voto abriu esta manhã, se verificou que faltava a documentação, entre boletins de voto, atas ou editais.

Por isso mesmo, segundo o autarca, foi preparado um novo envelope com os documentos, o qual já foi enviado para o local.

No distrito de Vila Real, registaram-se também atrasos nas aberturas das urnas em Couto de Ervededo, concelho de Chaves, e Borbela, em Vila Real.

Segundo a GNR, em Couto de Ervededo, houve uma troca de chaves, o que atrasou a abertura da porta do local onde se já procede normalmente ao ato eleitoral.

Já na secção de voto nº4 de Borbela, também se verificou um atraso na abertura da porta do local, que teve que ser arrombada, atrasando todo o processo, desde a instalação da urna à contagem dos boletins de voto.

Neste local, o primeiro eleitor votou às 08:47.

Já em Évora, o início da votação na assembleia de voto instalada na escola André de Resende atrasou entre 10 a 15 minutos, devido à falta de boletins de voto para a Assembleia Municipal, disseram à agência Lusa fontes policiais e autárquicas.

Às 08:00, já havia eleitores a aguardar a abertura das urnas, o que aconteceu depois da chegada dos boletins para a Assembleia Municipal, passando a votação a decorrer normalmente.

Este é um dos locais de voto na União de Freguesias de Bacelo e Senhora da Saúde, no concelho de Évora, relata a Lusa.