Jerónimo de Sousa também pediu este sábado a demissão do Governo





FMI: «Não há margem» para revisão do défice