O dirigente e deputado socialista João Galamba e o ex-ministro grego das Finanças Yanis Varoufakis condenaram esta segunda-feira as declarações do presidente do Eurogrupo e ministro das Finanças português sobre o fim da assistência financeira à Grécia.

O antigo porta-voz do PS e atual membro do Secretariado Nacional dos socialistas escreveu na rede social Twitter: “um vídeo lamentável que apaga o desastre que foi o programa de ajustamento grego e branqueia todo o comportamento das instituições europeias”, em resposta à gravação em vídeo colocada por Mário Centeno na sua conta na mesma rede social.

O ministro das Finanças português, Mário Centeno, saudara o fim dos programas de assistência ao país helénico, apontando que, ao fim de oito anos, a Grécia “reconquistou o controlo pelo qual lutou”, mas advertindo que tal também acarreta “responsabilidade” acrescida.

Segundo Centeno, “a Grécia enfrenta agora uma nova realidade” na qual “não há mais ações prévias” (as medidas de ajustamento que Atenas tinha que honrar perante os credores para receber os empréstimos), “mas também não há mais desembolsos”.

Igualmente naquela rede social, o antigo ministro das Finanças do atual Governo do Syriza (coligação de esquerda), que saiu em rutura com os pacotes de medidas adotadas pela Grécia e seus parceiros, também escreveu: “a Comissão Europeia junta insultos à miséria insuportável da Grécia com um vídeo que tem a estética/imoralidade da máquina de propaganda da Coreia do Norte”.

A Grécia, o país europeu mais atingido pela crise económica e financeira que surgiu em 2008, foi o primeiro e último a pedir assistência financeira – e o único “reincidente” –, e a conclusão do seu terceiro programa, hoje, significa o fim do ciclo de resgates a países da zona euro, iniciado em 2010, e que abrangeu também Portugal (2011-2014), Irlanda, Espanha e Chipre.