O líder do PS defendeu hoje, em Roma, a possibilidade de o Banco Central Europeu (BCE) «funcionar como prestador de último recurso e poder emprestar diretamente aos países da União Europeia».

A posição de António José Seguro foi expressa no congresso do Partido Socialista Europeu (PSE), em Roma, de acordo com uma nota do gabinete do secretário-geral do PS.

Além da defesa da mutualização europeia de parte da dívida pública, Seguro afirmou-se ainda favorável a «uma política orçamental comum aos 18 estados da zona euro como meio de promover o crescimento económico e a criação de emprego», segundo o comunicado do PS.

O alemão Martin Schulz foi eleito hoje candidato à presidência da Comissão Europeia, em Roma, pelo PSE, cujo mote para as eleições de maio é ¿Europa muda de rumo¿.

À margem dos trabalhos do PSE, António José Seguro teve reuniões com o presidente do SPD alemão e vice-chanceler, Sigmar Gabriel, e o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault.

No encontro com Sigmar Gabriel, António José Seguro abordou a possibilidade de a Auto-Europa, em Palmela, receber um novo projeto da Volkswagen, o que seria ¿essencial para a manutenção dos postos de trabalho e rentabilidade¿ da fábrica de Palmela.

António José Seguro está em Roma para participar no congresso do PSE, onde os socialistas portugueses estão também representados pela eurodeputada Edite Estrela, pelo secretário nacional António Galamba e por Isabel Coutinho, líder do Departamento Nacional das Mulheres Socialistas.