O PSD congratulou-se hoje com o recuo para 16,7 por cento da taxa de desemprego no segundo trimestre e convidou o PS a comentar publicamente os números que configuram «um importante avanço na situação social e económica do país».

«Este número, comparado com os 17,7% do trimestre anterior, representa uma descida significativa, sendo de salientar que é a primeira vez em dois anos que a taxa de desemprego diminui», referem os sociais-democratas em comunicado.

Na nota enviada à imprensa, o PSD deixa também um convite ao PS, «habitualmente tão rápido nas suas tomadas de posição pela negativa, a comentar publicamente os números agora divulgados que configuram um importante avanço na situação social e económica do país e que confirmam que o esforço colectivo dos portugueses nos últimos dois anos não foi em vão».

Segundo dados divulgado esta manhã pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego em Portugal foi de 16,4% no 2.º trimestre, 1,3 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior, mas mais 1,4 pontos percentuais do que no mesmo período de 2012.

Segundo os resultados do Inquérito ao Emprego do INE, de abril a junho a população desempregada foi de 886 mil pessoas, o que representa um aumento homólogo de 7,1% e uma diminuição trimestral de 7,0% (mais 59,1 mil e menos 66,2 mil pessoas, respetivamente).

Já a população empregada foi de 4,5 milhões de pessoas, o que traduz uma diminuição homóloga de 3,9% e um aumento trimestral de 1,6% (menos 182,6 mil e mais 72,4 mil pessoas, respetivamente).

No comunicado, o PSD assinala que, embora se preveja o crescimento da taxa média anual do desemprego, os aspetos positivos dos números agora anunciados não podem ser desvalorizados e salienta «o aumento da taxa de emprego e o concomitante aumento do número de portugueses profissionalmente ocupados».

Recordando que aos dados agora conhecidos sobre o desemprego somam-se os já anunciados números referentes ao aumento da produção industrial, à confiança dos produtores e consumidores e ao crescimento das exportações, os sociais-democratas concluem que «são boas notícias para Portugal e para os portugueses que, de forma tão empenhada e coesa, nos últimos dois anos, trabalharam para ultrapassar a difícil situação do país».

«Confirmam-se, pois, os sinais positivos na economia de que falou o Primeiro-Ministro no debate da Moção de Confiança e que, como disse, ?indicam que podemos estar muito próximos da inversão que todos os portugueses desejam», é ainda referido na nota do PSD.