O Governo português associou-se ao voto de pesar da Assembleia da República, assinado por todos os partidos, pela morte do antigo futebolista Eusébio, que morreu no domingo.

«Eusébio da Silva Ferreira ganhou a eternidade. Deixou-nos a marca de um talento sem par, a memória da simplicidade e da humildade própria dos grandes homens e o estímulo do seu exemplo», diz o voto de pesar que foi lido antes de um minuto de silêncio feito no parlamento.

O Governo esteve representado pelo ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, e pelo secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, numa ocasião em que também a família mais próxima de Eusébio e o presidente do Sport Lisboa e Benfica, Luís Filipe Vieira, marcaram presença.

Também presentes nas galerias do parlamento estiveram o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, e o presidente da Liga de Clubes, Mário Figueiredo.

«Às incomparáveis qualidades desportivas, Eusébio acrescentava as características humanas que fizeram dele uma referência afetiva para todos nós: rosto de diversas campanhas humanitárias e solidárias, homem de uma naturalidade genuína e de um entusiasmo contagiante», é dito no voto de pesar.

«Eusébio foi, Eusébio é embaixador de Portugal; um dos grandes da nação: irrepetível, marcante e incontornável», diz o voto de pesar hoje lido na Assembleia da República.