O secretário-geral do PS, António José Seguro, afirmou hoje que o seu partido tem órgãos próprios de decisão e tem um líder «legitimado» e que é «candidato a primeiro-ministro» nas próximas eleições legislativas.

Seguro terá posição determinante sobre «diretas»

António José Seguro falava em conferência de imprensa na sequência do chumbo pelo Tribunal Constitucional a três normas do Orçamento para 2014, depois de questionado por uma jornalista sobre a atual situação interna no PS.

«Não escondo que preferia que não se tivesse passado o que passou durante esta semana. Respondo com total clareza», começou por dizer, numa alusão à intenção do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, se candidatar à liderança do PS.

Depois, o secretário-geral do PS deixou uma advertência: «O PS tem órgãos próprios e tem um líder legitimado - e esse líder é candidato a primeiro-ministro».

«O PS está em condições de contribuir para encontrar uma solução duradoura para o nosso país. Esta situação [com o atual Governo] é que não pode continuar», contrapôs António José Seguro.