O secretário-geral do PS afirmou esta terça-feira que são os programas ocupacionais e o fenómeno da emigração que justificam a descida da taxa de desemprego em Portugal e não por via de qualquer crescimento da economia.

Taxa de desemprego em Portugal volta a descer em maio

António José Seguro falava no final de reuniões com a UGT e CGTP-IN, depois de confrontado com os mais recentes dados do Eurostat, segundo os quais a taxa de desemprego em Portugal voltou a recuar em maio, para 14,3 por cento, contra 14,6 por cento em abril, menos 2,6 pontos percentuais do que um ano antes (16,9 por cento) - a segunda maior descida homóloga da União Europeia.

«Infelizmente, não é a economia mas os programas de ocupação que estão a absorver o desemprego. É um mau sinal, porque o país deveria estar neste momento a recuperar do ponto de vista económico, o que significaria a existência de um aumento da taxa de emprego», sustentou o líder socialista.

Pelo contrário, de acordo com António José Seguro, verifica-se uma descida da taxa de desemprego em resultado «de vários programas ocupacionais, a par de um aumento da emigração».

«O que seria desejável era uma descida do desemprego por boas razões, por via do dinamismo económico e do crescimento da economia, o que infelizmente não está a acontecer», acrescentou.