O deputado do PS Pita Ameixa questionou esta segunda-feira o Governo sobre o interesse dos Estados Unidos da América (EUA) na Base Aérea de Beja, exigindo que novas utilizações da infraestrutura «não ponham em causa» o desenvolvimento do aeroporto.

Numa pergunta dirigida ao ministro da Defesa Nacional e enviada à agência Lusa, o deputado quer saber se o Governo «confirma o interesse» e «em que termos» dos EUA na Base Aérea n.º 11, onde, «à parte», está instalado o aeroporto de Beja.

«Ainda que incrivelmente desprezado pelo Governo», o aeroporto de Beja «pode vir a ter, no futuro, um alto significado e grande impacto no desenvolvimento económico-social» da região, frisa Pita Ameixa, perguntando se o Governo «garante que novas utilizações militares» da Base Aérea n.º 11 «não contendem com o desenvolvimento do aeroporto».

Todas as iniciativas que possam contribuir para o pleno aproveitamento dos recursos e o desenvolvimento das regiões de Portugal «devem ser merecedoras de uma apreciação à partida positiva», «desde que não ponham em causa outros projetos válidos e os superiores interesses nacionais», defende o deputado do PS eleito por Beja.

Segundo Pita Ameixa, reportando-se a notícias recentes, os EUA estarão interessados em instalar na Base Aérea n.º 11 uma Força de Reação Rápida do seu dispositivo responsável por missões militares em África, o que implicaria a instalação em Beja de 500 fuzileiros americanos e respetiva logística.

De acordo com as notícias, refere o deputado, os EUA já realizaram «contactos adequados para o efeito» com as autoridades portuguesas e uma delegação do país terá visitado a Base Aérea n.º 11 no segundo semestre de 2013.

Através da pergunta, o deputado também quer saber qual a situação atual e qual «a perspetiva de real concretização» da instalação na Base Aérea n.º 11 de uma escola de pilotos da força aérea da Coreia do Sul e outra da força aérea do Canadá.