O presidente do CDS-PP, Paulo Portas considerou este sábado «importante e interessante» o trabalho da comissão de reforma do IRS e disse que o partido «fará o trabalho de casa para tornar o IRS mais amigo da família».

«Como vos tenho dito ao longo das últimas semanas, era importante esperar pelos trabalhos da comissão de reforma do IRS [Imposto sobre o Rendimento Singular] e acho que apresentam ideias que são importantes e interessantes», referiu o presidente do CDS-PP.

Segundo Paulo Portas, a medida que incide sobre o número de filhos diz muito ao partido.

«Para apurar o imposto a pagar, o rendimento deve levar em conta não apenas os membros do casal, mas também o número de filhos. Se levar em conta o número de filhos o rendimento é dividido por mais e o resultado é menor e, sendo menor, significa que a taxa de IRS a pagar é mais baixa», sublinhou.

O presidente do CDS-PP falava em Abrantes, na tomada de posse dos órgãos da distrital de Santarém.

Portas sublinhou que o partido «fará o trabalho de casa contribuindo com ideias para tornar o IRS mais amigo da família e das famílias com filhos, viável e possível também do ponto de vista orçamental».

Para o líder do CDS-PP, o partido sempre foi «muito claro» sobre a política económica.

«Queremos uma regulação que é forte, mas o essencial do crescimento económico faz-se através das empresas, são elas que investem e que criam postos de trabalho e têm sentido do risco», adiantou.

O líder centrista disse ainda que não é a sociedade que tem que se adaptar à despesa do Estado, «é a despesa do Estado que tem que se adaptar a uma política de moderação fiscal, que é aquela que convém a uma sociedade que quer crescer mais e mais depressa».

Segundo Paulo Portas, a matéria fiscal «é relevante para haver investimento neste momento ou ele ser adiado e ser feito noutro lado».

O anteprojeto da comissão liderada pelo fiscalista Rui Duarte Morais estará em discussão pública até 20 setembro.

A proposta final de revisão do IRS terá de ser entregue até ao final desse mês.