«Quem não gosta, pode ir pedir batatinhas ao cardeal Policarpo. Num discurso em Setúbal, defendeu a política austeritária do governo, por não haver alternativas. E criticou a oposição por não as ter. É sempre um mistério teologal por que a igreja portuguesa decide falar, sobretudo tendo andado tão caladinha na crise. Mas quando fala, todo um imaginário rastejante se ilumina.»