A deputada do PS Isabel Moreira criticou esta quarta-feira no parlamento os «ataques pessoais e cobardes» aos juízes do Tribunal Constitucional (TC), advertindo que no futuro ficará na memória a entidade e não as «pressões» sobre a mesma.

«Ficará o TC e não os ataques pessoais, cobardes aos seus juízes que não se podem defender. Ficará o TC e não a confusão propositada entre a crítica legítima às decisões e a tentativa reles de pôr em causa o papel de pacificador da democracia», disse a socialista.

Isabel Moreira, constitucionalista, apresentou esta tarde uma declaração política em nome individual na Assembleia da República onde falou do que chamou de «ataques pessoais e cobardes» ao TC por parte dos partidos da maioria, PSD e CDS-PP.

A parlamentar referia-se aos recentes chumbos dos juízes do Palácio Ratton a normas do Orçamento do Estado (OE) de 2014.

Para a socialista, PSD e CDS-PP têm «apenas uma única compreensão» da palavra reformar: «cortes».

«A direita dos cortes cegos não engana. Não ilude os homens e as mulheres que prezam as instituições», acusou.