O cabeça de lista socialista às eleições europeias, Francisco Assis, acusou esta terça-feira a maioria PSD/CDS de estar «rendida» à ideia de uma Europa caraterizada por uma associação de egoísmos e apelou ao voto dos indecisos.

Falando no jantar/comício da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS, Francisco Assis fez um cerrado ataque às conceções «fundamentalistas» sobre disciplina financeira, que colocam em causa o crescimento económico, e criticou o «fatalismo» da «direita» portuguesa perante esta lógica internacional.

«Quando o PS defende a mutualização parcial da dívida ou uma alteração do papel do Banco Central Europeu, a direita não nos diz que estamos errados ou que os nossos objetivos são incorretos. Dizem apenas que não estamos em condições de os concretizar, porque estão rendidos à ideia de que a Europa é uma associação de egoísmos», afirmou o ex-líder parlamentar do PS, recebendo palmas.

Francisco Assis fez depois uma analogia entre a discussão política atual e o debate que se travou em Portugal antes do 25 de Abril.

«Os que nos dizem que não é possível uma outra Europa também nos diziam em 1974 que não era possível outro Portugal. Aqueles que nos dizem que não é possível outra política económica europeia também nos diziam que era impossível um Serviço Nacional de Saúde ou uma escola pública universal e de qualidade», advogou o cabeça de lista socialista às eleições europeias.

Francisco Assis traçou depois uma linha de demarcação entre o PS e a maioria PSD/CDS: «Não aceitamos que estamos condenados a uma realidade com a qual discordamos.

«Lutamos pela mudança da realidade com realismo», contrapôs Assis, que discursou antes de António José Seguro e logo após o ex-ministro Jorge Coelho.