O vice-presidente do PSD Carlos Carreiras enalteceu hoje os discursos de «grande oportunidade» do Presidente da República, Cavaco Silva, no Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Definindo as intervenções do chefe de Estado como de «grande e profundo patriotismo», Carlos Carreiras, que falava na sede do PSD, em Lisboa, diz que tem sempre «de haver condições» para acordos políticos, embora tendo como «primeira base fundamental» o cumprimento dos compromissos de Portugal a nível internacional.

«Essas bases têm de existir sempre. E da parte do PSD sempre existiu a abertura mais do que suficiente» para compromissos, sublinhou Carlos Carreiras.

O dirigente social-democrata destacou ainda as palavras de Cavaco Silva quando este referiu a necessidade de não se repetirem erros do passado, fazendo depois um apelo ao «resgate da esperança».

Tal esperança, advogou, «é absolutamente necessária», em concreto para todos aqueles a quem a crise «mais afetou», nomeadamente jovens, idosos, pensionistas e desempregados.

O Presidente da República, Cavaco Silva, apelou hoje, numa intervenção nas comemorações oficiais do 10 de Junho, que decorreram na Guarda, a um «entendimento partidário de médio prazo».

Cavaco alertou para o «preço muito elevado» que se poderá pagar se um entendimento partidário continuar a ser adiado, apontando o período até à discussão do Orçamento como o indicado para «o tempo de diálogo».

O Presidente da República apontou ainda 2014 como o ano em que Portugal conquistou «o direito a ter esperança», mas recomendou atenção para não se repetir uma «situação explosiva» e pediu para que se olhe o futuro sem «ilusões».