O Governo considera «extremamente oportuna» a agenda da reunião desta quinta-feira do Conselho de Estado e espera que todos os participantes nessa reunião contribuam «de forma positiva» para a discussão do «pós-troika», afirmou o ministro da Presidência.

Mário Soares deverá faltar ao Conselho de Estado

O ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares transmitiu esta posição em resposta aos jornalistas, durante a conferência de imprensa sobre as conclusões do Conselho de Ministros.

Luís Marques Guedes ressalvou, contudo, que «o Conselho de Estado não é assunto que tivesse sido abordado no Conselho de Ministros, pura e simplesmente porque não é uma competência do Conselho de Ministros».

«O senhor primeiro-ministro, nessa qualidade, é membro do Conselho de Estado, mas os assuntos do Conselho de Estado são tratados dentro do Conselho de Estado, não são discutidos previamente no Conselho de Ministros», reforçou.

Referindo que a agenda da reunião de hoje do Conselho de Estado «é pública», o ministro da Presidência acrescentou: «Achamos que essa é uma agenda bastante oportuna. É muito importante que o país discuta quer o pós-troika, a situação que temos para a frente, quer o acordo de parceria e a aplicação dos fundos do período 2014-2020».

«Achamos [essa agenda] extremamente oportuna e esperamos, naturalmente, que, responsavelmente, todos os participantes nesse Conselho de Estado possam contribuir de uma forma positiva para o tratamento destas duas questões», completou.

O Conselho de Estado, órgão político de consulta do Presidente da República, reúne-se hoje, a partir das 17:30, tendo na ordem de trabalhos a discussão da «situação económica, social e política, face à conclusão do programa de ajustamento e ao acordo de parceria 2014-2020 entre Portugal e a União Europeia para os fundos estruturais».