reduzir a taxa social única

"O problema da Segurança Social tem de ser resolvido dentro da Segurança Social. Eu tenho medo de, ao passar a financiar a Segurança Social com IVA, com IRC, com IMI e com outras fontes de financiamento estou a tapar o sol com a peneira"

Daniel Bessa foi transparente na crítica que teceu, classificando esta medida como um "erro" e diz que ele próprio, se quisesse ter um discurso "populista", também podia dizer que é possível encontrar essas outras fontes de financiamento para a Segurança Social. "Isto é verdade", assinalou, mas desviar impostos para essa finalidade seria "estar a resolver um problema e a criar outros".

No programa conduzido por Judite Sousa, o economista mostrou-se, porém, confiante numa vitória do PS, nem que seja por um voto. "Aposto 100 contra 1 que o PS ganha", confessou.

 

Sampaio da Nóvoa: o "candidato do Bloco"

Já sobre as Presidenciais de 2016, Daniel Bessa mostrou-se crítico em relação a Sampaio da Nóvoa, dizendo que o vê como o "candidato do Bloco" de Esquerda, porque tem um "discurso muito alinhado" com o partido: "Quando a balança pesa excessivamente para um lado, é evidente que não fico sossegado". Deu o exemplo da eventual necessidade de um compromisso sobre o pacto orçamental, não vendo no discurso de Nóvoa qualquer possibilidade de aceitar isso do próximo governo, caso venha a ser chefe de Estado.

Medina Carreira, comentador habitual do programa, também olha para a candidatura de Nóvoa com "intranquilidade". Defendeu que o próximo Presidente tem de ser alguém "com realismo, conhecedor da vida". Daqueles que já estão na corrida, à esquerda, escolhe Henrique Neto, a quem teceu vários elogios. À direita, citou nomes como Rui Rio, Marcelo Rebelo de Sousa e Santana Lopes.

Daniel Bessa, por sua vez, também mostrou "o maior respeito" por Henrique Neto. Quanto a Rui Rio, que conhece há 40 anos, considerou que é "subestimado em Lisboa", o que "não é justo". Comparando Rio com Nóvoa, disse que "na vida há uma dimensão de sonho, mas também há uma dimensão de contas". E o primeiro tem, no seu entender, essa qualidade. "Dar-lhe-ia um voto. Não hesitaria".

"Mas acho, e já o disse publicamente, que terá mais dificuldade em vencer Sampaio da Nóvoa do que Marcelo Rebelo de Sousa", acrescentou.