O ministro dos Negócios Estrangeiros admitiu hoje que Portugal ainda não afastou por completo o cenário de ser alvo de um segundo resgate, apesar do «passo importante» com a aprovação das oitava e nona avaliações da troika.

A posição de Rui Machete foi assumida perante a Comissão Parlamentar de Negócios Estrangeiros na sequência de uma intervenção crítica feita pelo deputado comunista João Ramos.

De acordo com o titular da pasta dos Negócios Estrangeiros, o cenário de Portugal ser alvo de um segundo resgate «está mais afastado, mas ainda não foram ultrapassadas todas as dificuldades».

Rui Machete referiu que, neste momento, em relação às medidas previstas no Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), «infelizmente, não há pensado nenhum plano B para além do Plano B do resgate».

«Ao serem aprovadas as oitava e nona avaliações pela troika (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional), demos um passo muito importante. Mas não ganhámos ainda a batalha», advertiu o membro do Governo, antes de deixar uma crítica à atuação da oposição política.

Para Rui Machete, a batalha no sentido de se evitar um segundo resgate financeiro «não pode apenas ser ganha pela atuação do Governo».

«Tem sido difícil progredir em função das críticas da oposição alargada», sustentou o ministro dos Negócios Estrangeiros.