José Sócrates vai lançar um livro sobre a temática da tortura, noticia o jornal Expresso. O ex-primeiro ministro condensou a tese de mestrado num livro, que sairá no final de outubro, com prefácio (e apresentação) do ex-Presidente do Brasil, Lula da Silva, e o patrocínio da Fundação Mário Soares.

O ex-primeiro-ministro defendeu a tese de mestrado, em julho na Sorbonne, em Paris, e agora vai publicar em livro, em Portugal.

«A tortura não é um assunto do passado. É um tema muito discutido hoje em dia. Será que uma boa acção, um bem maior, justifica a tortura? É um dos assuntos mais discutido na filosofia atual, por exemplo nos Estados Unidos», explicou Sócrates ao jornal Expresso.

O secretário-geral do PCP escusou-se hoje a comentar o livro aguardando pela sua publicação, mas sublinhou saber «o que custou lutar pela liberdade», sobretudo aos comunistas.

«Não conheço o conteúdo, a obra, esperemos pela sua publicação. Quando critico o Governo de Sócrates, critico porque foi ele que abriu a porta [à entrada da troika], com a assinatura e com os sucessivos PEC... no essencial, alicerçava-se muito naquilo que foi o memorando das troikas», disse Jerónimo de Sousa, na Baixa da Banheira.

Sócrates vai lançar uma obra de ciência política, após os estudos de pós-graduação em Paris, que incidirá sobre a temática da tortura.

«Os comunistas portugueses foram o alvo preferencial da ditadura fascista. Custou-nos muito, muita prisão, perseguição, desemprego, muita tortura e até morte e assassinato. Sabemos o que custou, ao longo desse período de 48 anos, lutar pela liberdade. Pagámos bem caro, mas valeu a pena porque tivemos o 25 de Abril», congratulou-se Jerónimo de Sousa.