O Governo português lamentou este domingo «as trágicas consequências» do deslizamento de terras de sexta-feira no Afeganistão que terá causado mais de 2 mil mortos, segundo as autoridades locais.

«O Governo Português, lamentando as trágicas consequências do deslizamento de terras no Afeganistão, apresenta às autoridades afegãs e às famílias enlutadas as suas sentidas condolências e manifesta a sua solidariedade neste momento de pesar», refere em comunicado o Ministério dos Negócios Estrangeiros português.

O deslizamento de terras de sexta-feira no nordeste do Afeganistão terá causado, segundo as autoridades, mais de 2 mil mortos, embora as equipas de resgate tenham conseguido recuperar pouco mais de 300 cadáveres.

Várias casas ficaram soterradas e mais de 700 pessoas tiveram que ser deslocadas para locais seguros.

As buscas pelos cadáveres foram dadas por terminadas devido à impossibilidade de encontrar sobreviventes e por falta de meios para recuperar mais corpos, e o país cumpre luto nacional pelas vítimas da tragédia.

O abandono das operações de resgate impedirá conhecer com exatidão o número de mortos no desastre, embora as autoridades garantam que ascendem a milhares, o que torna este deslizamento na segunda pior catástrofe natural da história do Afeganistão.

De acordo com os registos oficiais, o deslizamento de terras de sexta-feira apenas foi superado pelo terramoto que em 1998 atingiu a província de Takhar e causou a morte a pelo menos 3.500 pessoas.