Nas últimas semanas têm sido criados dois novos canais de televisão por dia e as eleições autárquicas não são alheias ao fenómeno. Segundo avança o jornal «Público», 80 candidatos, das grandes cidades às pequenas juntas de freguesia, criaram canais de televisão próprios para fazerem campanha.

Como a televisão não chega a todo o lado, os candidatos optem por ter a televisão consigo. Mesmo que esse não seja o meio eleito para fazer campanha, serve de complemento às restantes ações. E o serviço é gratuito no Meo.

Segundo o «Público», até à semana passada, estavam registados 82 canais, 33 dos quais ligados ao PS. João Ribeiro (PS), que se candidata a Setúbal e Basílio Horta (PS) na luta por Sintra, são dois dos nomes mais sonantes.

Depois surge o CDS e os movimentos independentes, cada um com 13 canais. E, por fim, o PSD com 12.

Em declarações ao jornal diário, Carina Castro, assessora de imprensa da candidatura da CDU à Câmara de Lisboa, com o canal 140621, explicou que «a ideia de utilizar o Meo surgiu de forma a potencializar os vídeos que já fazíamos para colocar no YouTube, no sítio na Internet ou na página de Facebook». Ou seja, «os custos são muito reduzidos», assegura.

Alexandre Luz, porta-voz da candidatura do PSD em Oeiras, também garante que o valor «está muito próximo de zero».

O Meo Kanal tem 35 mil canais e nenhum dos candidatos autárquicos está no «top 100». Os canais mais antigos ligados a partidos foram criados em fevereiro de 2012, pelo PS de Pinhel e pela JSD de Lisboa. Na altura, não se pensava em autárquicas mas, agora, a plataforma não foi esquecida.