António Costa falava aos jornalistas após ter participado na reunião do Grupo Parlamentar do PS, depois de confrontado com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo os quais a taxa de desemprego (dos 15 aos 74 anos) estimada para dezembro em Portugal é de 13,4 por cento, menos 0,1 pontos percentuais do que o estimado para novembro.

«Sempre que o desemprego se reduz o sinal é obviamente positivo, mas a questão é a de saber se é suficiente e se é consistente. Nestes últimos três anos, Portugal perdeu 300 mil postos de trabalho», reagiu o líder socialista.

De acordo com António Costa, «se ao número de desempregados, mais de 600 mil, se somar o número de pessoas que todos os dias deixam de estar inscritas [nos centros de emprego], porque são abatidas aos cadernos como desencorajadas, mais as pessoas que emigraram, temos a dimensão da tragédia social que o país tem vindo a viver», cita a Lusa.

«Essa situação só se alterará de forma consistente com uma alteração política, que implique uma nova orientação, da qual o Governo tem reafirmado a sua recusa persistente em mudar», acrescentou.