“É totalmente falso que tenha sido adjudicado ou pago qualquer valor à JPAB & Associados, no âmbito do processo de subconcessão em curso, seja de que natureza for”, refere a Metro do Porto, em comunicado hoje divulgado.


"No Porto, Aguiar-Branco [ministro da Defesa Nacional] é a cara deste processo de concessão dos transportes do Metro e da STCP contra a opinião dos utentes, contra a opinião dos autarcas das várias cores que existem, mas ele é também sócio maioritário do escritório de advogados que ganhou um milhão de euros em pareceres e consultadorias feitas à Metro do Porto”, afirmou Soeiro.




Os trabalhos acabaram por ser adjudicados “à Abreu Advogados por 48.900 euros e, mais tarde, no âmbito do relançamento do processo, foi consultada a PLMJ, por estar a prestar serviços no âmbito das subconcessões dos transportes de Lisboa, tendo a adjudicação sido feita pelo valor de 30.000 euros”.