O PS criticou hoje a criação de um lugar remunerado na Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) de Viseu, para o qual foi nomeado o arquiteto Fernando Marques, que integrou a lista do PSD à Câmara nas autárquicas.

A designação de Fernando Marques (sétimo da lista do PSD, que não foi eleito) para vogal executivo da SRU foi aprovada na última reunião da Câmara, com a abstenção dos vereadores socialistas.

Em declarações hoje aos jornalistas, o vereador José Junqueiro (PS) admitiu que o executivo liderado por Almeida Henriques «tem legitimidade para nomear quem muito bem entender», mas frisou que se trata «da criação de um lugar que não existia, despesa acrescida para a Câmara», que o PS entende não ser essencial.

«O que ele (Almeida Henriques) disse em campanha é que nomearia um administrador do centro histórico e que para isso haveria um concurso», lembrou.

Os vereadores socialistas abstiveram-se também na nomeação da antiga vereadora Ana Paula Santana (sexta da lista do PSD, que não foi eleita) para a Gestin Viseu, entidade responsável pela gestão dos parques empresariais de Viseu.

«Também não podíamos dar o nosso voto favorável, porque a Gestin Viseu ou é extinta ou deve ter uma solução credível», defendeu José Junqueiro, acrescentando que Almeida Henriques se comprometeu a «apresentar uma solução credível até ao fim do ano».

O vereador socialista realçou que este «é um projeto falhado, falido» e, portanto, não poderiam «dar o acordo à nomeação de alguém que fosse o representante da Câmara».

Na semana passada, Almeida Henriques justificou aos jornalistas a nomeação de Fernando Marques com o facto de as funções da SRU irem ser alargadas - numa lógica de gestão do centro histórico, nas suas vertentes urbanística, de reabilitação, de centro comercial ao ar livre, de animação e dinamização cultural - passando o arquiteto a ser «o gestor do centro histórico».

No que respeita à Gestin Viseu, explicou que decidiu manter em funções Ana Paula Santana por se tratar de «um dossiê que está em fase de conclusão».

No entanto, José Junqueiro considerou que, quando houver um plano para o centro histórico, esse assunto terá de ser debatido na Câmara.

«Neste momento foi arranjar um lugar que não existia. E arranjou esse lugar para um membro que foi da sua equipa à Câmara. Tem legitimidade para o fazer? Tem. Não concordamos com isso, mas damos o benefício da dúvida até ao momento em que nos apresente o plano para o centro histórico», acrescentou.

Também relativamente à Gestin Viseu, disse que quando Almeida Henriques apresentar a prometida solução o PS votará «em conformidade».

Os vereadores socialistas mostraram-se, por outro lado, desagradados com o gabinete que lhe foi atribuído no edifício da Câmara, considerando não ter «as condições adequadas a administradores da casa».

«Nem uma janela tem, é um quarto fechado. Temos uma mesa redonda, um telefone, uma secretária e algumas coisas arrumadas, com uma aparelhagem», contou José Junqueiro, garantindo que, no entanto, irão trabalhar nele, recebendo os munícipes.