O Bloco de Esquerda (BE) recomenda que sejam criadas medidas "excecionais e emergentes" que assegurem as vagas que permitam o início do internato a 114 médicos que ficaram sem colocação no último concurso.

Esta é uma das recomendações ao Governo feitas pelo BE para que sejam aplicadas medidas que garantam o acesso a formação especializada a todos os médicos.

De acordo com o projeto de resolução, o Bloco de Esquerda recomenda ao executivo de Costa para que "crie medidas excecionais e emergentes para assegurar as vagas que permitam o acesso e início do internato médico aos 114 médicos que ficaram sem vaga no último concurso".

Além disso, pede ao Governo que "desencadeie os processos tidos por convenientes para, em coordenação com a Ordem dos Médicos e a ACSS [Administração Central do Sistema de Saúde], assegurar o alargamento das idoneidades formativas e a subsequente abertura do número de vagas para os próximos concursos" e que "sejam garantidas vagas para acesso ao internato médico a todos os que terminem a sua formação pré-graduada em medicina".

O Bloco de Esquerda salienta que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) "é um pilar fundamental de democratização do país, mobilidade social e redução de desigualdades, tendo permitido quebrar o ciclo da doença tipicamente associada à pobreza".