O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu esta quinta-feira ter ficado tentado em escolher Serralves como uma segunda casa, adiantando não haver razão nenhuma “para não repetir” ali os seus encontros semanais.

Fiquei com essa tentação [de ser Serralves uma segunda casa] porque realmente tem condições únicas, é uma grande instituição, com um prestígio não só nacional como internacional e porque esta primeira experiência correu muito bem. Não há razão para não repetir”, afirmou à Lusa Marcelo Rebelo de Sousa, quando questionado sobre a Casa de Serralves, no Porto.

O Presidente da República, que falava na Casa de Serralves no final do seu encontro semanal com o primeiro-ministro e com o seu homólogo da Costa Rica, destacou ainda o “desenvolvimento das relações” com aquele país que “está de facto numa muito boa fase, em termos económicos e financeiros” e para onde devia existir “a ligação direta” de Portugal.

Contou ainda ter ficado “com alguma inveja” do primeiro-ministro da Costa Rica que hoje recebeu a chave da cidade do município de Viseu.

Eu tive que lhe dizer que eu ainda não tinha recebido a chave da cidade do município de Viseu e portanto que tinha alguma inveja pelo reconhecimento que tinha sido feito e que o tinha muito impressionado positivamente”, disse.