O grupo parlamentar do PS pediu, esta segunda-feira, a presença do secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, na Assembleia da República para explicar a «contínua degradação da mobilidade na área metropolitana de Lisboa».

Em causa está a diminuição de carreiras e comboios, a diminuição dos horários de funcionamento no período noturno e ao fim de semana, a diminuição de viaturas em circulação e de composições e carruagens, entre outros.

Em comunicado citado pela Lusa, o grupo parlamentar do PS crítica, ainda, a supressão de apoios a estudantes, pensionistas e reformados no passe social, a ausência de concertação política com as autarquias para uma melhor gestão e o facto de o passe social na Grande Lisboa estar «ao nível dos mais caros da Europa».

Tudo isso se traduz na «diminuição de milhões de utilizações por parte dos utentes na área metropolitana de Lisboa, degradando significativamente a mobilidade na região, consubstanciando um prejuízo para a economia e agravando a crise social que nos afeta», lê-se no documento.

«A tudo isto o Governo responde com a justificação do aumento da fraude. Sem fundamentar adequadamente esses dados», afirma o grupo parlamentar do PS.

Para os deputados socialistas, no domínio dos transportes o Governo só pensa em «degradar a oferta, cortar, privatizar e concessionar» e fá-lo «sem concursos públicos internacionais, sem articulação com as autarquias, sem que apresente os seus planos de modo claro, objetivo e sem opacidade».

Frisando que «esta opacidade e falta de transparência em relação ao que está a ser feito não são toleráveis», o grupo parlamentar do PS defende que «o Governo tem de prestar contas sobre o que está em curso».

Para os deputados socialistas, numa altura de crise financeira e económica, seria «expectável que o Governo promovesse mecanismos que levassem à utilização do transporte coletivo».