Notícia atualizada às 12:52

O Bloco de Esquerda (BE) propôs, esta terça-feira, ao PS e ao PCP conversações, no sentido de se encontrar uma solução para um Governo de Esquerda.

«Para assumir toda a sua responsabilidade para uma solução democrática, o BE propõe tanto ao PS como ao PCP a abertura de um processo de discussão e aprovação de bases programáticas para um governo de esquerda. Propomos que essas conversações se façam sem qualquer condição prévia e no mais curto espaço de tempo», disse João Semedo, numa conferência de imprensa sem direito a perguntas dos jornalistas.

O PS, entretanto, já reagiu e para aceitar a negociação. «O PS já transmitiu ao BE a sua disponibilidade para receber uma delegação daquele partido, hoje, às 19h00, no Largo do Rato, em Lisboa. A reunião entre representantes das direções dos dois partidos ocorre num momento de emergência nacional, onde os diálogos interpartidários são essenciais para encontrarmos soluções para os graves problemas que o país atravessa», informou o partido em comunicado.

João Semedo considera que «são precisas soluções urgentes e nenhum esforço deve ser poupado para conseguir uma resposta a esta crise». «Na urgência não há tempo a perder», sublinhou.

O Bloco decidiu tomar a decisão, após três semanas de indefinição política, «depois de dois ministros de estado que apresentam a demissão, de uma remodelação falhada e de uma iniciativa presidencial que estabeleceu a confusão». A intenção é criar uma alternativa de governo que «termine a austeridade do memorando e consiga a reestruturação da dívida».

João Semedo regista com agrado a iniciativa do PCP de propor ao Bloco uma reunião e considera que «agora é na esquerda que está toda a responsabilidade de encontrar uma solução para libertar o país da crise e da troika».