O deputado do PS Paulo Pisco alertou esta quinta-feira que a campanha de apoio à Seleção Nacional de futebol lançada pela Federação Portuguesa de Futebol ignora os cinco milhões de portugueses emigrantes, o que disse ver "com uma certa irritação". O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas disse à agência Lusa já ter sensibilizado a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) para que a campanha de apoio à seleção nacional fale de 15 e não 11 milhões de portugueses.

Em causa está a campanha de apoio à Seleção portuguesa, com o lema "Não somos 11, Somos 11 milhões", durante o campeonato europeu de futebol (Euro2016), que o deputado socialista, eleito pelo círculo da emigração na Europa, considera "uma desconsideração" para com os cinco milhões de emigrantes portugueses.

"Torna-se quase uma desconsideração esquecer que a nação portuguesa não é apenas composta pelos 10 milhões que habitam dentro das nossas fronteiras, é muito mais vasta e inclui os cinco milhões que estão espalhados pelo mundo, sem contar com aquelas que são as segundas e terceiras gerações, que fazem muito mais apoiantes da seleção portuguesa", disse o socialista à Lusa.

"Precisamos do apoio de todos, sem nenhum tipo de exclusão, e deveremos estar unidos. Seria importante que fossem considerados os 15 milhões de portugueses e não apenas os 11 milhões de que a Federação Portuguesa de Futebol fala", afirmou Paulo Pisco, que espera que aquele organismo ainda corrija a sua campanha.

Pisco lembrou que este é "um erro que volta a ser cometido" e que já em 2008, quando o campeonato europeu de futebol decorreu na Suíça e na Áustria, "uma marca, muito conhecida, disse que havia 10 milhões de portugueses a apoiar a seleção".

Na altura, "isso provocou reações nas nossas comunidades, porque houve cinco milhões de portugueses que, na altura, se sentiram excluídos" e "não faz sentido que tenha voltado a haver este esquecimento", lamentou o deputado do PS.

Posição que secretário de Estado das Comunidades Portuguesas transmitiu ao presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, fazendo notar que, hoje, o discurso público das autoridades nacionais se refere "não a 10 milhões, mas a 15 milhões de portugueses".

Somos mais de 15 milhões de portugueses, entre os que vivem em Portugal, emigrantes, lusodescendentes e cidadãos com nacionalidade portuguesa", salientou José Luís Carneiro.

Da parte da FPF, o secretário de Estado com a tutela da emigração disse ter tido uma "reação muito aberta e positiva".

A FPF, acrescentou, mostrou-se "disponível para ratificar ainda alguns dados da campanha", apesar de ter assinalado que já houve "muito esforço desenvolvido".

A secretaria de Estado das Comunidades, referiu ainda Carneiro, ofereceu-se "para o que for necessário na relação com os portugueses que estão espalhados e vão apoiar emotivamente a seleção".

O Euro2016 vai decorrer em França, entre 10 de junho e 10 de julho.