Seguro deseja solução «pacífica» na Ucrânia