O secretário-geral do Partido Socialista (PS), António José Seguro, pediu uma mudança política no Porto e salientou que uma cidade mais forte é uma necessidade não só para a região, mas também para o país.

Durante um discurso na Alfândega do Porto, perante uma plateia de cerca de 150 pessoas da cidade ligadas a diversas áreas, Seguro lembrou como «o Porto foi diferente para melhor quando Fernando Gomes liderou como presidente da Câmara esta grande cidade».

«Um Porto liderante, um Porto que se afirma não é apenas uma necessidade dos portuenses. É uma necessidade do país, porque Portugal fica mais forte, fica mais próspero, fica mais desenvolvido, fica mais livre com um Porto com capacidade de liderança e de afirmação. E é isso que todos nós desejamos. Que aqui no Porto exista esta mudança», disse o dirigente socialista, que apelou ao voto no candidato Manuel Pizarro.

Antes, Seguro já havia referido que os participantes no almoço fizeram cair «o mito de que as elites do Porto não estão com Manuel Pizarro».

«Há quem diga que o Manuel Pizarro só tem atrás de si - e friso só tem - o povo do Porto. Ora, o povo do Porto somos todos nós e um candidato que não tem atrás de si o apoio do povo não merece ter o voto do povo para ser eleito presidente da Câmara do Porto», realçou o secretário-geral do PS.

Para além de Manuel Pizarro, concorrem à Câmara do Porto Luís Filipe Menezes (PSD), os independentes Rui Moreira (que tem o apoio do CDS-PP) e Nuno Cardoso, Pedro Carvalho (CDU), José Soeiro (BE), José Carlos Santos (PCTP/MRPP) e José Manuel Costa Pereira (Partido Trabalhista Português).