Os resultados eleitorais das regionais em França, ganhas pela Frente Nacional, e das legislativas na Venezuela, vencidas pela oposição, "espelham a vontade do eleitorado" e devem, por isso, ser "respeitados", afirmou hoje o novo chefe da diplomacia portuguesa.

Falando aos jornalistas após uma visita de cortesia à sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, Augusto Santos Silva salvaguardou, contudo, que, em França, terá ainda de se disputar uma segunda volta, pelo que há que ser "prudente" e evitar mais comentários.

"Os resultados da primeira volta das regionais em França já são conhecidos, em que a Frente Nacional ficou à frente. Há que respeitar esse resultados, pois foi o eleitorado francês que assim o decidiu

"Vamos esperar pela segunda volta e pelos resultados finais", salientou Santos Silva, que concretizou, com a visita à sede da CPLP, o seu primeiro ato público enquanto ministro dos Negócios Estrangeiros português.


Quanto à votação de domingo na Venezuela, ganha pela oposição, Santos Silva limitou-se a indicar, tal como em relação às regionais francesas do mesmo dia, que o resultado "espelha a vontade do eleitorado".

"O mesmo se aplica (ao que disse sobre a votação em França). Foram eleições, neste caso legislativas (na Venezuela), que decorreram com toda a normalidade, segundo o meu conhecimento, e o resultado espelha a vontade do eleitorado e o eleitorado é soberano", afirmou Santos Silva.