“Já tenho sapatos para aguentar as próximas três semanas... mas nem que vá descalço”, afirmou divertido, enquanto arrumava o sapato de senhora – “alguma das meninas precisa de sapatos?” – que tinha estado a avaliar.


"Pessoalmente, como sempre fui toda a minha vida, estou contra a existência de subvenções vitalícias”, acrescentando que “se fosse deputado jamais tomaria uma decisão dessas”, referindo-se à posição tomada por Maria de Belém enquanto deputada.





"Marcelo na Presidência seria um desastre”




“Nóvoa a presidente, Nóvoa a presidente”

"Marcelo é um mestre da dissimulação, é um dos mais exímios construtores de trapaças a partir da introdução inicial de umas pinceladas de verdade".






"Alguma vez Marcelo foi um homem sensato e moderado? Um indivíduo que diz tudo e o seu contrário pode ser referenciado como alguém que tem sensatez? Isto é uma ‘tonteria’"

"Marcelo já negou mais vezes Pedro do que Pedro negou Cristo"







"Que diz o agora candidato quando confrontado com esse voto do seu partido, de que era presidente, e com a argumentação populista absolutamente inaceitável que esse partido desenvolveu? Diz-nos que era presidente do partido, mas não mandava. Foi vencido pela direção. Não sei se assim foi ou não, pois não se conhece registos dessa titânica batalha que o presidente do PSD de então teria travado dentro do seu partido. Mas uma coisa todos sabemos, um presidente, seja ele de um partido ou da República, não culpa os seus soldados rasos".


"Foi o que aconteceu hoje. O que ouvimos hoje mais uma vez. Onde há três meses um acordo do PS com os partidos à sua esquerda era impensável e até sinal de mau perder, agora merece, confirma e reconfirma a confiança e a habilidade do primeiro-ministro. Tem sido assim com tudo. Tudo o que disse, desdisse agora em campanha. Na ânsia de se afastar dos partidos pelos quais, ainda há três meses fazia campanha e andava a pedir o voto, Marcelo já negou nesta campanha mais vezes Pedro do que Pedro negou Cristo".