O candidato presidencial, António Sampaio da Nóvoa, defendeu esta segunda-feira, em Ponta Delgada, Açores, ser necessário um consenso sobre a eventual extinção do cargo de Representante da República para as regiões autónomas.

“Tem havido um consenso na sociedade portuguesa em torno dessa evolução da autonomia, certamente que estarei muito atento a que esse consenso se possa concretizar também” nesta matéria, afirmou Sampaio da Nóvoa, ao ser questionado sobre a eventual extinção do cargo de Representante da República, após uma audiência com o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro.

Assinalando que se trata de uma matéria de revisão constitucional, o candidato, cujo pai foi ministro da República para os Açores, assegurou que estará “muito confortável com a maneira como essa evolução se vier a dar, se ela se vier a dar”.

À pergunta se entende que os poderes do Representante da República podiam ser exercidos pelo chefe de Estado, Sampaio da Nóvoa sustentou que um candidato a Presidente da República ou mesmo um chefe de Estado “não deve tecer considerações concretas, não deve assumir compromissos concretos sobre esse tema”.

Sampaio da Nóvoa expressou, contudo, “uma grande convicção da importância do aprofundamento das autonomias”, matéria sobre a qual estará “atento e confortável com as opções que vierem a ser tomadas nessa matéria” na Assembleia da República, insistiu.

O candidato reiterou a “convicção profunda da importância das autonomias regionais, da sua evolução, do seu aprofundamento", assumindo o "compromisso claro como candidato a Presidente da República e se for eleito" de se "bater, sempre, pelo aprofundamento dessas autonomias”.

“Entendo uma conceção da nossa vida política, da nossa vida institucional em que os órgãos da região democraticamente eleitos possam exercer um conjunto alargado de competências e possam ter um papel central na definição, não só da vida política nacional no seu todo, como também no conjunto das esferas de competência próprias de uma região”, declarou, como reporta a Lusa.

Questionado se lhe foi transmitido na audiência com o presidente do Governo Regional, também líder do PS/Açores, apoio à candidatura, Sampaio da Nóvoa referiu que a audiência não é o lugar para tecer considerações sobre este assunto.

Já o presidente do executivo açoriano, ao ser questionado de novo sobre qual o candidato que apoia nas eleições de domingo, afirmou que já tomou a decisão, mas escusou-se, novamente, a revelar, justificando com o momento e a circunstância.