Os gritos de apoio que se ouviam na sede de candidatura de Sampaio da Nóvoa levaram a que o candidato tivesse de esperar cerca de 40 segundos para começar o seu discurso de agradecimento pelo apoio vivido ao longo de mais de oito meses.

“Boa noite e obrigado a todos e a todas. Vivi, vivemos em conjunto, vivi eu um tempo extraordinário da minha vida, um tempo forte e intenso, de aprendizagem, de luta pelas ideias, e pelos ideais em que acredito".


Afirmando que nunca quis “nada” para si, mas que estava disposto a dar tudo pelo meu país, o candidato que ficou em segundo lugar nestas eleições considerou, no entanto, que conseguiu fazer história em Portugal.

“Pela primeira vez na nossa história um cidadão independente esteve perto de disputar a segunda volta numas eleições presidenciais e pela primeira vez na história da democracia uma candidatura independente ultrapassou os 20%, um milhão de votos, dando um sinal forte de maturidade da nossa democracia”


Mas, como afirmou Sampaio da Nóvoa, “em democracia, as eleições ganham-se por um voto e perdem-se por um voto” e por isso mesmo, felicitou Marcelo Rebelo de Sousa pela vitória.

“A partir de hoje, Marcelo Rebelo de Sousa é o meu presidente e o de todos os portugueses. Fiz esta campanha pela positiva apelando à união contra fraturas e clivagens que nos separaram nos últimos anos, também agora, neste momento, quero contribuir para esta união em torno do novo presidente da República sem hesitações, sem reticências, com uma profunda convicção democrática”

Apesar da derrota, para Sampaio da Nóvoa esta campanha foi uma vitória e, para o candidato, aquilo que correu mal foi da sua “inteira responsabilidade”, mesmo que os apoiantes digam que “não” em uníssono.

“A segunda palavra é para me dirigir a todos e a todas que fizeram esta campanha extraordinária no país inteiro. Não tenho mesmo palavras para vos agradecer. Faltou pouco para passarmos à segunda volta e esse pouco que faltou é da minha inteira responsabilidade e de mais ninguém”. 

Após serem conhecidas as projeções das televisões, Correia de Campos falou ao país dizendo que existia "ainda uma grande incerteza sobre o resultado final" devido à pouca fiabilidade das sondagens.

No entanto, os resultados acabaram por confirmar que Sampaio da Nóvoa ficou em segundo lugar nestas eleições, não conseguindo atingir o seu grande objetivo: uma segunda volta frente a Marcelo Rebelo de Sousa.