O salário mínimo nacional vai aumentar 20 euros para os 505 euros por mês já em outubro e o que seria suposto ser uma boa notícia, pode ter um sabor amargo para alguns trabalhadores, advertiu esta quinta-feira António José Seguro. Isto porque, com o aumento do vencimento, pode também aumentar o escalão de IRS. O secretário-geral do PS quer que o Parlamento introduza justiça nesta questão.

«Os trabalhadores que recebem o salário mínimo vão ser prejudicados, porque alguns deles têm diuturnidades e com o aumento e essas diuturnidades são empurrados para um escalão superior» de IRS, notou o líder socialista, considerando que muito trabalhadores «são prejudicados porque levam menos salário para casa».

Seguro teve «oportunidade de verificar esta questão» e assegurou que o seu partido irá trabalhar para ver se consegue «no seio do Parlamento introduzir justiça», assegurou, citado pela Lusa, nas Caldas da Rainha, onde hoje visitou as Faianças Bordallo Pinheiro.

Para o líder do PS, «não tem sentido as pessoas receberem mais salário e no final do mês levarem menos salário para casa porque os impostos levam muito mais do que o aumento desse salário mínimo».